Portões de Fogo – Steven Pressfield

portoes_de_fogoA batalha das Termópilas tem sido celebrada desde a era clássica como um dos maiores exemplos de heroísmo e sacrifício altruísta de todos os tempos. Mais do que simplesmente exaltar a força e a bravura dos 300 espartanos e seus aliados théspios que lutaram até o ultimo homem para deter o avanço persa, essa resistência evoca todos os sentimentos mais nobres que guiaram esses guerreiros em direção à morte, renunciando de bom grado as suas próprias vidas para preservarem algo mais importante; a pátria, a liberdade e as vidas de seus familiares e compatriotas. Portões de Fogo consegue, com toda a intensidade que é merecida, transmitir da maneira mais formidável e adequada possível essa história de coragem, abnegação, perseverança, honra e obstinação. Peço a Apolo e as Musas que me ajudem a contar da melhor maneira possível o quão épica é esta fantástica obra. Continuar lendo

Anúncios

Rebelde (As Crônicas de Starbuck Vol.1) – Bernard Cornwell

RebeldeBernard Cornwell é mais conhecido aqui no Brasil pelos seus livros ambientados na Idade Média, e sem sombra de dúvidas As Crônicas de Artur, As Crônicas Saxônicas e A Busca do Graal são as séries mais conhecidas do autor pelo público brasileiro. Curiosamente As Aventuras de Sharpe, a mais extensa delas, já passando de mais de 20 volumes, parece não ter o mesmo apelo, talvez justamente pelo intimidante número de publicações ou pelo fato de se passar durante as Guerras Napoleônicas, substituindo as espadas, machados e arcos por baionetas, rifles e canhões. Fato é que não é nem de longe esses livros ambientados na Idade Contemporânea estejam tão vinculados com a imagem do autor aqui no Brasil quanto suas outras obras, muito embora o desespero dos campos bombardeados por peças de artilharia, o caos das saraivadas de tiros e a coragem necessária para permanecer firme durante essas cruéis e viscerais batalhas combinem perfeitamente com o estilo do autor britânico.

E se Sharpe já é um pouco esquecido, As Crônicas de Starbuck, série cujo cenário é a Guerra de Secessão americana, é praticamente desconhecida. Continuar lendo

1356 – Bernard Cornwell

1356Bernard Cornwell é um nome fácil nas recomendações dos leitores de ficção histórica. Mestre em narrativas militares, especialmente pelas descrições dos caóticos e intensos combates que facilmente ganham vida na imaginação do leitor. O autor faz por merecer sua fama, dificilmente você encontra outros que consigam captar tão bem quanto ele a atmosfera de desespero e êxtase de um campo de batalha, mas às vezes nem isso basta… Continuar lendo

Os Pilares da Terra – Ken Follet

Os_Pilares_da_TerraA religião constituía uma parte fundamental na vida medieval, não apenas no papel unificador ou espiritual, mas também no campo intelectual, político, econômico e social. A igreja era o centro de tudo, era o coração das cidades e vilarejos, e nada manifestava mais a ascensão do poder e riqueza da Igreja do que as catedrais. As catedrais eram as maiores, mais caras e mais complexas construções da época, eram erguidas para inspirar admiração e devoção, mas toda essa imponência demandava uma quantia enorme de recursos humanos, materiais e financeiros, levando décadas, ou até mesmo séculos, até ficarem prontas. Elas refletiam não apenas o caráter religioso e cultural da época, mas também a ambição e o desejo humano. Os Pilares da Terra usa esse cenário, contudo esta não é exatamente uma história sobre a construção de uma catedral. Continuar lendo

Herança de Sangue (Guerra das Rosas Vol.3) – Conn Iggulden

Herança_de_SangueAs forças de Lancaster triunfaram sobre o duque de York e o conde de Salisbury na batalha de Wakefield. Com as cabeças dos seus principais inimigos espetadas nas muralhas da cidade de York, a rainha Margarida de Anjou marcha com um grande exército em direção ao sul, visando libertar o rei Henrique VI das mãos dos últimos dos seus opositores, e nada parece ser capaz de impedi-la. No entanto, ao matar e decapitar os líderes das casas de York e Neville, Margarida acabou por liberar os herdeiros para assumirem a causa de seus pais, unindo o filho de Salisbury, Ricardo Neville, o conde de Warwick ao filho mais velho de York, Eduardo, o conde de March, em uma vingança contra a Casa de Lancaster. Continuar lendo

Os Senhores do Arco ( O Conquistador Vol.2) – Conn Iggulden

Os_senhores_do_arcoO Império mongol foi um dos maiores que o mundo já viu, sendo o maior em extensão territorial em questão de terras contínuas e o segundo maior em extensão territorial total – ele possuía 33 milhões de km², perdendo apenas para o Império Britânico com 33,7 milhões de km²-, e a exemplo de Alexandre, o Grande, boa parte dele conquistada sob a liderança de um só homem, Gêngis Khan. Não à toa essa figura histórica é um prato cheio para qualquer autor possa se inspirar parcialmente ou mesmo contar os fatos da movimentada vida desse que se tornou uma das pessoas mais temidas da época e que pôs boa parte do mundo sob seus pés.  Continuar lendo

Guerreiros de Roma: Fogo no Leste – Harry Sidebottom

fogonolesteJá vou logo dizendo que sou fã de História e um dos meus gêneros literários favoritos é a Ficção Histórica, esses já foram alguns motivos que me levaram a comprar esse livro. Também sou aficionado por qualquer coisa que envolva as legiões da Roma Antiga, algo que novamente contou a favor desse livro, mas quando vi que a história se passava no século III, onde o declínio do Império Romano já era visível, além de ser uma época pouco explorada em livros, filmes e seriados que falam sobre Roma, eu não pensei duas vezes e comprei Guerreiros de Roma: Fogo no leste, escrito pelo britânico Harry Sidebottom. Continuar lendo