Guerreiros de Roma: Fogo no Leste – Harry Sidebottom

fogonolesteJá vou logo dizendo que sou fã de História e um dos meus gêneros literários favoritos é a Ficção Histórica, esses já foram alguns motivos que me levaram a comprar esse livro. Também sou aficionado por qualquer coisa que envolva as legiões da Roma Antiga, algo que novamente contou a favor desse livro, mas quando vi que a história se passava no século III, onde o declínio do Império Romano já era visível, além de ser uma época pouco explorada em livros, filmes e seriados que falam sobre Roma, eu não pensei duas vezes e comprei Guerreiros de Roma: Fogo no leste, escrito pelo britânico Harry Sidebottom. Continuar lendo

Azincourt – Bernard Cornwell

Azincourt ou Agincourt, como os ingleses chamam, foi uma batalha ocorrida na Idade Média, mais precisamente em 25 de outubro de 1415 (dia de São Crispim), fazendo parte da famosa Guerra dos 100 anos. Foi uma das batalhas que os ingleses mais se orgulham, afinal eles deram uma surra nos franceses, e foi uma vitória improvável devido à superioridade numérica dos inimigos e pelas dificuldades enfrentadas pelos famintos e cansados soldados ingleses, mas principalmente porque a esmagadora vitória foi contra os franceses.  É praticamente o 7×1 dos deles contra os seus “rivais”, algo que pode ser comparado de leve com a rivalidade entre os brasileiros e os argentinos, porém entre os europeus é até maior devido aos constantes conflitos que ambos tiveram ao longo dos anos. Dito isto de introdução, vamos ao livro em si. Continuar lendo

A Águia Da Nona – Rosemary Sutcliff

A_Águia_da_NonaCerto dia me deparei com o filme A Legião Perdida/A Águia da Legião Perdida (The Eagle, no original) de 2011, e como fã de qualquer coisa que tenha o exército romano, a própria Roma Antiga ou batalhas épicas,  logo fui assisti-lo com muita expectativa e confesso que acabei gostando bastante, não é nada de excepcional, mas as cenas de luta são bem feitas e é um filme bem divertido de se ver. Após assisti-lo, fiquei sabendo que era inspirado em um livro chamado “A Águia da Nona”, escrito pela britânica Rosemary Sutcliff, e quando o vi em uma livraria comprei-o como se nunca mais fosse o ver novamente. Não sou lá tomado por impulsos na hora de comprar qualquer coisa, mas a temática e o filme já foram motivos mais do que suficientes para tê-lo. Continuar lendo

O Lobo das Planícies ( O Conquistador Vol.1) – Conn Iggulden

 

O Lobo Das PlaO-Lobo-das-Planiciesnícies é o primeiro livro da série “O Conquistador” escrita pelo britânico Conn Iggulden, iniciando a saga de cinco volumes sobre o império mongol, e destes cinco os três primeiros são focados no mais famoso desse povo, Gêngis Khan. Já conhecia o autor pela fantástica série “O Imperador”, que é focada em Júlio César, e a premissa de uma nova série baseada em outra figura histórica poderosa, que pôs boa parte do mundo aos seus pés e que travou sangrentas e épicas batalhas usando de diversas estratégias brilhantes e absorvendo as tecnologias dos inimigos, logo me prendeu de tal modo que era quase uma necessidade ler esse livro. Continuar lendo

O Forte – Bernard Cornwell

o_forteO Forte é um dos “livros avulsos” do britânico Bernard Cornwell, bem mais conhecido pelas suas séries mais longas como “As crônicas de Arthur”, “A busca do Graal” e “As crônicas saxônicas”, muito amadas e, até não exagerando, idolatradas aqui no Brasil. Mas nesse livro, assim como nos livros da série “As aventuras de Sharpe”, troca-se o arco, os machados e as espadas pelos canhões, rifles e mosquetes, embora vejamos novamente os ingleses como os protagonistas, porém desta vez em batalhas contra os americanos. Continuar lendo

Total War Rome : Destruição de Cartago – David Gibbins

PrintO livro é baseado na famosa série de jogos Total War, mas isso é um detalhe irrelevante para a leitura em si, já que qualquer pessoa que nunca tenha jogado (eu inclusive) consegue ler sem problemas, pois não é necessário qualquer tipo de conhecimento prévio dos jogos. Interessante é que o autor não resolveu focar nas batalhas de Aníbal contra Cipião Africano, que é o que vêm à cabeça quando se fala de Cartago, ele preferiu situar essa história décadas depois da ameça de Aníbal, quando Cartago foi de fato destruída por Públio Cornélio Cipião Emiliano Africano (“o Jovem”), o neto adotivo de Cipião Africano. Continuar lendo