Inspirações Históricas das Crônicas de Gelo e Fogo: 4ª Parte

É inegável a capacidade que o George R. R. Martin tem de criar histórias fascinantes com reviravoltas surpreendentes que tem a capacidade de fazer com que os leitores fiquem totalmente imersos em Westeros e nas terras além do Mar Estreito, aliado a isso ainda temos a imensa credibilidade que o Martin consegue imprimir na construção de seus personagens, o que é uma fórmula certa para fazer com que seja fácil esquecer que nada daquilo realmente aconteceu de tão natural e imprevisível que as coisas acabam tomando forma. Mas se por um lado não temos estações que duram anos, dragões e criaturas fantásticas, temos muito da influência de eventos ocorridos no nosso mundo e personagens históricos que ajudam a dar a obra essa percepção que muito do que acontece nos livros poderia ter acontecido em nosso mundo. Pois bem, algumas coisas ocorreram, se bem que nem sempre da mesma forma. Dando prosseguimento a essa série de posts sobre as influências históricas na obra do Martin vamos ver que essas inspirações não ficam apenas em traições, príncipes desaparecidos, conspirações, trocas constantes de poder e reis desequilibrados. Continuar lendo

Inspirações Históricas das Crônicas de Gelo e Fogo: 3ª Parte

É comum imaginar que a fantasia seja algo que fuja totalmente da realidade, com mundos repletos de magia e criaturas fantásticas que se diferenciam de tudo o mais que existe dentro do nosso mundo, mas não é bem assim. Para imaginarmos algo que vá além do que conhecemos fatalmente nos baseamos naquilo que nos é familiar, assim os nossos monstros mais assombrosos são quimeras de animais reais, personagens e criaturas más representam o que há de pior na nossa natureza, bem como aqueles que são sábios e bondosos representam um estado de perfeição que queremos atingir, porém a ligação entre o real e a imaginação não fica preso somente a isso, mas ecoa a nossa própria História. Continuar lendo

Inspirações Históricas das Crônicas de Gelo e Fogo: 2ª Parte

Nesta segunda parte vamos falar um pouco sobre casamentos, jantares indigestos e leis de hospitalidade. É bom dizer que esses tipos de leis ou deveres realmente existiram na Europa durante a Idade Média, de modo que o anfitrião não poderia ferir o convidado ou vice-versa, e tal como nas Crônicas de Gelo e Fogo acreditava-se que a violação desses deveres sagrados poderia atrair mau agouro para quem cometesse o ato, mas as leis de hospitalidade remontam a tempos mais antigos. Continuar lendo

Inspirações Históricas das Crônicas de Gelo e Fogo: 1ª Parte

A nossa própria realidade pode tomar rumos mais inesperados e ter reviravoltas ainda maiores nos jogos de poder do que qualquer livro de fantasia, e pode ser ainda mais sombria, mais violenta, mais chocante do que qualquer coisa que a mente humana possa imaginar. Um bom exemplo disso são os eventos históricos que inspiraram George R. R. Martin a criar As Crônicas de Gelo e Fogo. Continuar lendo

O Pessimismo dos Mundos Distópicos

A distopia apresenta um conceito filosófico oposto à utopia, termo cunhado por Thomas Morus em seu livro Utopia, cujo significado é “não-lugar” ou “lugar inexistente”. Na obra publicada por Morus em 1516 Utopia era um ilha onde as pessoas viviam em paz, a fome era inexistente, os recursos eram praticamente ilimitados, as pessoas possuíam apenas as melhores características humanas e ouro e prata não tinham valor algum, ou seja, era um lugar completamente diferente e absurdo em comparação com a Europa da época com valores totalmente diferentes, era algo totalmente idealizado, realmente um lugar inexistente. Continuar lendo

J.R.R. Tolkien x George R.R. Martin

John Ronald Reuel Tolkien ou J. R. R. Tolkien é sem sombra de dúvidas o primeiro nome que se passa na cabeça da grande maioria de pessoas quando se fala em livros de fantasia, e há grandes motivos para isso, afinal O Senhor dos Anéis foi o livro que revolucionou o gênero, que sem dúvidas, se tornou outro depois das obras do professor. George Raymond Richard Martin a.k.a. George R. R. Martin ganhou muita notoriedade nos últimos tempos, impulsionado pelo sucesso de Game of Thrones, que adapta para a TV a sua grande, e grandiosa, série de livros As Crônicas de Gelo e Fogo, que, pelo menos para o grande público, inovou com uma trama cheia de reviravoltas, com personagens cinzas, sem aqueles valores sólidos e perfeitos, com muito sexo e focando no jogo político, tendo uma tendência a se parecer mais com a realidade nessas questões. Ambos mudaram o status quo da fantasia, os dois ganharam muitos fãs e os seus fãs não raramente ficam discutindo e brigando sobre qual é melhor e o motivo de um ser melhor que o outro, mesmo que esse motivo não fique lá muito coerente para qualquer pessoa que não eles mesmos. Bem, não vou entrar nessa discussão de quem é melhor, até porque isso pode ser muito subjetivo, mas compará-los… aí já é outra história. Continuar lendo