Mistborn: O Herói das Eras – Brandon Sanderson

O_heroi_das_erasO mundo vive à beira da destruição iminente desde que Vin libertou Ruína do Poço da Ascensão. Terremotos cada vez mais frequentes assolam a terra, as cinzas caem em maior profusão, cobrindo o solo e matando as plantas, e mesmo as brumas, que antes só apareciam à noite, agora surgem durante o dia, matando aleatoriamente as pessoas. Essa força consciente parece ser irrefreável e o fim de tudo aparenta ser inevitável, no entanto, o antigo bando de Kelsier ainda acredita que Ruína pode ser derrotada, e as pistas para detê-la podem se encontrar nos últimos depósitos deixados pelo Senhor Soberano que se encontram nas cidades de Fadrex e Urteau. Continuar lendo

Anúncios

Meio Mundo (Mar Despedaçado Vol.2) – Joe Abercrombie

Sou fã do Joe Abercrombie, poucos autores conseguem imprimir um estilo tão reconhecível em suas obras ao mesmo tempo em que sempre acham espaço para te surpreender. Sua narrativa ágil, permeada por cenas de ação intensas e diálogos mordazes magnificamente desenhados, só fica atrás da capacidade do autor em questão de caracterização e desenvolvimento de seus personagens. Para quem já o conhecia ficava a dúvida de como ele se sairia escrevendo uma “fantasia” young adult, visto que o autor se sobressai nos cenários mais realistas, sombrios, cínicos e violentos, e se em Meio Rei já deu pra ver que ele foi muito bem sucedido nessa empreitada, em Meio Mundo ele se supera e vai além das expectativas. Continuar lendo

1356 – Bernard Cornwell

1356Bernard Cornwell é um nome fácil nas recomendações dos leitores de ficção histórica. Mestre em narrativas militares, especialmente pelas descrições dos caóticos e intensos combates que facilmente ganham vida na imaginação do leitor. O autor faz por merecer sua fama, dificilmente você encontra outros que consigam captar tão bem quanto ele a atmosfera de desespero e êxtase de um campo de batalha, mas às vezes nem isso basta… Continuar lendo

A Ascensão da Sombra (A Roda do Tempo Vol.4) – Robert Jordan

A_Ascensao_da_Sombra_Robert_JordanA Roda do Tempo tem sido uma das minhas séries de fantasia preferidas, o vasto e variado universo criado por Robert Jordan é muito convidativo e o autor não economiza na hora de criar culturas, costumes, personagens, locais e artefatos mágicos. É uma série que tende sempre para o épico, mas nem sempre a grandiosidade anda de mãos dadas com a intensidade e nesse volume as coisas começam a ficar um pouco arrastadas. Continuar lendo

Aniquilação (Comando Sul Vol. 1) – Jeff VanderMeer

AniquilaçãoJeff VanderMeer é um dos expoentes do chamado “New Weird”, um subgênero literário que mescla elementos de ficção científica, fantasia e horror. Não sou muito fã desses novos rótulos que surgem a todo instante categorizando alguma coisa com base em pequenas diferenças, ainda mais com algo um tanto disforme e com fronteiras nem sempre cristalinas, mas essa confusão de certo modo explica muito sobre o gênero, e por consequência, sobre este livro também. Continuar lendo

O Sangue Dos Elfos (A Saga Do Bruxo Geralt De Rívia – Vol. 3) – Andrzej Sapkowski

O_sangue_dos_elfosApós o massacre de Cintra a princesa Cirilla, última descendente da linhagem real do reino, é dada como desaparecida por alguns e morta por outros, no entanto, de alguma forma a menina consegue sobreviver e o destino mais uma vez une ela a Geralt de Rívia, que se torna o protetor da garota. Geralt a leva a Kaer Morhen, a sede dos bruxos, onde os últimos remanescentes da ordem ensinam o que sabem a menina enquanto a protegem e a escondem do mundo. Continuar lendo

Os Pilares da Terra – Ken Follet

Os_Pilares_da_TerraA religião constituía uma parte fundamental na vida medieval, não apenas no papel unificador ou espiritual, mas também no campo intelectual, político, econômico e social. A igreja era o centro de tudo, era o coração das cidades e vilarejos, e nada manifestava mais a ascensão do poder e riqueza da Igreja do que as catedrais. As catedrais eram as maiores, mais caras e mais complexas construções da época, eram erguidas para inspirar admiração e devoção, mas toda essa imponência demandava uma quantia enorme de recursos humanos, materiais e financeiros, levando décadas, ou até mesmo séculos, até ficarem prontas. Elas refletiam não apenas o caráter religioso e cultural da época, mas também a ambição e o desejo humano. Os Pilares da Terra usa esse cenário, contudo esta não é exatamente uma história sobre a construção de uma catedral. Continuar lendo