O Último Desejo (A Saga Do Bruxo Geralt De Rívia – Vol. 1) – Andrzej Sapkowski

Layout 1Fenômeno no Leste Europeu, a história do bruxo Geralt de Rívia rendeu adaptações para quadrinhos, cinema, televisão, mas foram mesmo os jogos que o tornaram conhecido no mundo todo e deram essa visibilidade maior para uma história de fantasia escrita por um autor que não é de um país anglófono, o que é muito difícil em termos de alcançar tamanho sucesso dentro do mercado internacional. Ainda que O Último Desejo seja taxado como o primeiro livro daSaga do Bruxo Geralt de Rívia”, ele é na verdade um apanhado de contos publicados inicialmente na revista polonesa de fantasia e ficção científica Fantastyka em meados dos anos 80 pelo autor Andrzej Sapkowski, sendo alguns desses contos também foram publicados em um segundo volume, A Espada do Destino, mas é apenas no terceiro volume, O Sangue dos Elfos, que temos o real início da saga, mas como esse é outro livro, também é um assunto para outro dia.

Acompanhamos Geralt de Rívia em suas aventuras como um “bruxo”. Bruxos dentro do universo de Sapkowski são seres humanos treinados desde muito jovens para serem capazes de combater monstros e todo tipo de ameaças sobrenaturais. Além do treinamento físico, tático e até teórico, os “candidatos” a bruxos são submetidos a mutações que os tornam mais fortes, mais ágeis e com sentidos mais aguçados, o que faz com que os poucos sobreviventes dos inúmeros textes e experiências se tornem extremamente mortais em combate. Adicionalmente eles também aprendem alguns sinais mágicos que podem ser usados através de gestos manuais, ainda que esse tipo de magia seja algo muito simples, mas muito efetivo se usado em conjunto com a inumana capacidade física e habilidade de luta que eles adquirem com o treinamento.

Ainda que pertencentes a uma espécie de ordem e modificados geneticamente – o que faz com que muitas pessoas nutram preconceitos em relação aos bruxos por acharem que são tão inumanos quanto às criaturas que caçam-, “bruxo” é praticamente uma profissão, eles matam monstros e executam determinadas tarefas por dinheiro, o que faz com que algumas pessoas, ainda guiadas por esse preconceito, os vejam como mercenários frios e sem emoções que só sabem matar, ainda que eles possuam todo um código de honra e éticas próprias e muitas vezes se mostrem mais dotados de maior humanidade do que aqueles que os desprezam.

The_Witcher_1Apesar desse mundo passar longe do maniqueísmo presente em grande parte das fantasias medievais e seguir um tom mais soturno e cru, não chega também a ser uma típica dark fantasy, é na verdade um universo que puxa bem paras as suas influências, tanto com a própria mitologia eslava, quanto pelos contos de fadas compilados pelos Irmãos Grimm, obviamente não as versões suavizadas pela Disney, mas as primeiras versões dessas histórias que apresentavam um teor mais sombrio e trágico, inclusive são bem interessantes as referências a alguns desses contos, como “A Bela e a Fera”, “Chapeuzinho Vermelho”, “Branca de Neve” e “João Ouriço”.

Esse tom mais sombrio também se mostra tanto nos cenários que as histórias se passam, como vilarejos, cidades e locais ermos, quanto na própria sociedade, sobretudo em relação à conturbada convivência entre humanos, elfos, anões e outras raças que não raramente se mostra marcada pela discriminação e intolerância. Nem sempre a linha entre o bem e o mal é nítida, e as escolhas, mesmo visando o “mal menor”, raramente levam a um caminho agradável. Muitas histórias seguem uma tonalidade mais melancólica, marcada pela tragédia, e apresentam personagens ambiciosos, lascivos, sádicos e cruéis, tanto quanto personagens com um caráter mais íntegro, e mesmo os monstros e criaturas em alguns casos não fogem dessa nuance moral mais cinzenta, o que reflete na própria forma com que Geralt faz suas escolhas em certas situações que ele se depara em alguns de seus trabalhos.

Como todo livro de contos O Último Desejo tem lá os seus altos e baixos, o que é perfeitamente normal, mas o livro como um todo é bem divertido, com uma narrativa que consegue prender o leitor, e de leitura bem fluida e fácil, além apresentar um universo bem rico e atrativo. Sapkowski consegue ainda introduzir temas mais atuais que acabam se encaixando perfeitamente com o contexto medieval da história, apresentando druidas e feiticeiros preocupados com problemas ecológicos, com o extermínio de certas espécies ou com a discriminação entre raças, mas também agrada aqueles que desejam cenas de ação formidáveis e aventuras interessantes. Em resumo, O Último Desejo é um livro que tem tudo para agradar aos mais diferentes tipos de fãs de fantasia e que faz jus a todo o sucesso que conquistou mundo afora.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s