Prince of Fools (A Guerra da Rainha Vermelha Vol. 1) – Mark Lawrence

prince_of_foolsEu já conhecia o Mark Lawrence pelo seu trabalho anterior com Trilogia dos Espinhos (composta por Prince of Thorns, King of Thorns e Emperor of Thorns), da qual eu apenas li o primeiro volume, e confesso que não senti vontade alguma de prosseguir com os outros. A minha falta de interesse em continuar com essa série foi muito em função de seu protagonista, embora tenha gostando bastante do mundo criado pelo autor, e quando vi que sua nova trilogia se passaria dentro do “Império Destruído”, o cenário medievalesco pós-apocalíptico da primeira série, fiquei um pouco mais motivado a dar uma segunda chance ao autor, principalmente por ter outro protagonista. Ainda que tenha me despertado uma curiosidade maior para ler essa nova trilogia, intitulada “A Guerra da Rainha Vermelha”, eu ainda permaneci com um pé atrás e só por agora consegui enfim juntar toda a vontade necessária para ler Prince of Fools. Continuar lendo

A Grande Caçada (A Roda do Tempo Vol.2) – Robert Jordan

A Grande CaçadaA Grande Caçada é o segundo volume da série de fantasia épica A Roda do Tempo, escrita por Robert Jordan, completa em 14 volumes. O livro final, infelizmente, não pode ser escrito pelo autor, falecido em 2007 em decorrência de uma doença cardíaca, o escolhido para finalizar a série tenha sido o excelente Brandon Sanderson, e que fique claro aos que possam se assustar com a informação, ele seguiu todas as notas deixadas por Jordan para o volume final (que acabou por ser dividido em três volumes), então pode-se esperar que, muito embora não seja a mesma coisa, a série teve o final que o autor desejava e foi escrito por um autor à altura. Continuar lendo

Matadouro 5 – Kurt Vonnegut

matadouro_5Matadouro 5 é a obra mais conhecida do americano Kurt Vonnegut, publicado originalmente em 1969. O livro é uma crítica direta ao sentimento de glorificação que há entorno da guerra, e carrega em si algo de semi-biográfico, já que o próprio autor usa do artifício de ser o narrador da história e de se colocar dentro dela em algumas situações, misturando a ficção com fatos que ele mesmo vivenciou, já que ele mesmo esteve na Segunda Guerra Mundial, sendo capturado por soldados alemães, e posteriormente acabou por presenciar, e obviamente sobreviver, ao bombardeio da cidade de Dresden pelos aliados. Continuar lendo