O Aprendiz de Assassino – Robin Hobb

O Aprendiz de Assassino é o primeiro volume da “Saga do Assassino” (Farseer Trilogy, no original), escrito pela autora norte-americana Robin Hobb, pseudônimo de Margaret Astrid Lindholm Ogden, publicado originalmente em 1995.

O Aprendiz de AssassinoA história começa com um garoto de seis anos tirado dos braços da mãe pelo seu avô e em seguida entregue para um soldado, sob a alegação que a criança seria o filho bastardo do Príncipe Cavalaria, o primeiro filho do rei Sagaz e o Príncipe Herdeiro do trono dos Seis Ducados, e que a criação do garoto deveria ser responsabilidade de Cavalaria. Continuar lendo

Anúncios

Inspirações Históricas das Crônicas de Gelo e Fogo: 4ª Parte

É inegável a capacidade que o George R. R. Martin tem de criar histórias fascinantes com reviravoltas surpreendentes que tem a capacidade de fazer com que os leitores fiquem totalmente imersos em Westeros e nas terras além do Mar Estreito, aliado a isso ainda temos a imensa credibilidade que o Martin consegue imprimir na construção de seus personagens, o que é uma fórmula certa para fazer com que seja fácil esquecer que nada daquilo realmente aconteceu de tão natural e imprevisível que as coisas acabam tomando forma. Mas se por um lado não temos estações que duram anos, dragões e criaturas fantásticas, temos muito da influência de eventos ocorridos no nosso mundo e personagens históricos que ajudam a dar a obra essa percepção que muito do que acontece nos livros poderia ter acontecido em nosso mundo. Pois bem, algumas coisas ocorreram, se bem que nem sempre da mesma forma. Dando prosseguimento a essa série de posts sobre as influências históricas na obra do Martin vamos ver que essas inspirações não ficam apenas em traições, príncipes desaparecidos, conspirações, trocas constantes de poder e reis desequilibrados. Continuar lendo

Inspirações Históricas das Crônicas de Gelo e Fogo: 3ª Parte

É comum imaginar que a fantasia seja algo que fuja totalmente da realidade, com mundos repletos de magia e criaturas fantásticas que se diferenciam de tudo o mais que existe dentro do nosso mundo, mas não é bem assim. Para imaginarmos algo que vá além do que conhecemos fatalmente nos baseamos naquilo que nos é familiar, assim os nossos monstros mais assombrosos são quimeras de animais reais, personagens e criaturas más representam o que há de pior na nossa natureza, bem como aqueles que são sábios e bondosos representam um estado de perfeição que queremos atingir, porém a ligação entre o real e a imaginação não fica preso somente a isso, mas ecoa a nossa própria História. Continuar lendo

Inspirações Históricas das Crônicas de Gelo e Fogo: 2ª Parte

Nesta segunda parte vamos falar um pouco sobre casamentos, jantares indigestos e leis de hospitalidade. É bom dizer que esses tipos de leis ou deveres realmente existiram na Europa durante a Idade Média, de modo que o anfitrião não poderia ferir o convidado ou vice-versa, e tal como nas Crônicas de Gelo e Fogo acreditava-se que a violação desses deveres sagrados poderia atrair mau agouro para quem cometesse o ato, mas as leis de hospitalidade remontam a tempos mais antigos. Continuar lendo