Um Estudo Em Vermelho – Arthur Conan Doyle

Um_Estudo_Em_VermelhoA história que apresenta o detetive mais famoso de todos os tempos, e também onde Sherlock Holmes conhece aquele seu fiel colega que vive registrando os seus feitos, é elementar que me refiro a John Watson. Um estudo em vermelho foi o primeiro livro publicado por Sir Arthur Conan Doyle, isso em 1888, porém essa história já tinha sido publicada no ano anterior na revista Beeton’s Christmas Annual em 1887. E sem mais demora vamos então a história inicial do maior detetive da literatura.

Watson voltava do Afeganistão, logo após ser dispensado do exército, onde servia como cirurgião assistente, em virtude de um ferimento e de uma febre tifoide, e acaba tendo de voltar à Inglaterra. Por conta de problemas financeiros resolve procurar um lugar mais barato do que aquele onde vivia, quando um conhecido seu o recomenda que divida o aluguel com um tal de Sherlock Holmes, de modo a dividir as despesas, e assim a famosa dupla foi morar no apartamento 221B da Baker Street, ponto de partida de inúmeras aventuras.

A história em sua divide-se em duas partes, na primeira é detalhado o encontro entre Watson e Holmes e o primeiro caso que os dois acompanham juntos. Nesta parte da história Gergson um membro dos policiais da Scotland Yard, que é visto regularmente nas histórias do detetive, pede auxilio a Sherlock Holmes para resolver mais um caso misterioso que vai além de seus poderes investigativos. O caso em questão é sobre um cadáver de um homem bem vestido, sem sinais de violência, apesar de haver sangue na sala onde fora encontrado, junto com o corpo havia cartões no bolso que sugeriam que ele fosse Enoque J. Drebber, proveniente de Cleveland, Ohio, nos EUA. Nesta parte Holmes analisa as pistas e soluciona o crime. Na segunda parte mostram os motivos do crime, voltando a narrativa para a região oeste dos EUA, e com o autor relatando os meios que usou para realizá-lo e a conclusão da história.

Sherlock gosta de um público, Watson é perfeito para esse papel, sempre maravilhado pelo poder de dedução do colega, no fim os dos se complementam nessa busca por descobrir os mistérios que ninguém mais é capaz de solucionar, aliás, Holmes chega a ficar depressivo pelo tédio causado pela falta de um desafio, a mente dele precisa sempre estar trabalhando. Watson é quem narra as suas aventuras, poucos são os contos que não narrados por ele, e serve, além de uma audiência, como um fiel escudeiro e quem de fato registra as aventuras de Holmes, então a dupla acaba se complementando, com o Watson servindo até como a visão do público dentro daquela história.

Se alguém estava em dúvidas por qual livro começar, tanto em ralação aos romances, quanto com os contos, este é o mais indicado, justamente por ser o primeiro que apresenta o encontro da dupla e por servir de introdução ao universo das aventuras de Sherlock Holmes, com uma boa descrição de seus hábitos, habilidades e limitações, ao pensamento do detetive e a “ciência da dedução” usada por Holmes, além, é claro, de ser uma excelente história.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s